Saiba como lidar com o seu orçamento

O orçamento pessoal ou familiar é o registro das receitas e despesas previstas e realizadas por uma pessoa ou por uma família. Ele funciona como uma radiografia das finanças, onde você pode ver claramente todos os seus ganhos e todos os seus gastos. Essa ferramenta simples vai ajudá-lo a descobrir como anda a sua saúde financeira e a de sua família.

Para organizar o orçamento é necessário anotar todas as receitas e todas as despesas em um determinado período de tempo. Temos a tendência de achar que é possível fazer estimativas mentais desses valores, mas, acredite, depois de elaborar o orçamento, você poderá se surpreender com a realidade de suas finanças.

Existem muitas formas de organizar o orçamento, cada pessoa deve escolher a maneira mais adequada ao seu perfil, podem ser utilizados aplicativos, planilhas, tabelas ou, até mesmo, um simples caderno.

Elaborar o orçamento é o primeiro passo para um planejamento financeiro eficiente. O mais importante para quem deseja se organizar financeiramente é simplesmente começar.

Passo a passo:

  1. Pense no período de tempo pelo qual deseja elaborar o seu orçamento, ele pode ser diário, mensal ou misto (com despesas diárias e mensais). Se as suas receitas forem predominantemente mensais, o ideal é fazer o orçamento também mensalmente, mas, como algumas despesas podem ser diárias, vale a pena anotá-las por dia e usar o total dessas despesas em seu orçamento mensal.
  2. Relacione todas as receitas da família, ou seja, anote todo o dinheiro que vocês efetivamente recebem. Atenção: só anote valores que realmente tiver a certeza de que irão receber, não use acréscimos variáveis (gorjetas, gratificações, etc.), pois não se deve contar com o que não é certo. Organize as receitas em fixas ou variáveis, de acordo com a frequência em que são recebidas e a variação dos valores.Receitas fixas são aquelas que estão sempre presentes no orçamento e cujos valores não variam muito ao longo do tempo, como salário, aposentadoria, pensão, recebimento de aluguéis etc.Receitas variáveis são esporádicas e podem apresentar uma grande variação de valores, como rendimento de investimentos, recebimentos por serviços prestados ou vendas de mercadorias, dentre outras.
  3. Anote todas as suas despesas, mesmo aquelas de pequeno valor (cafezinho, gorjeta, estacionamento, lanche escolar etc.), pois, só assim, você vai saber exatamente para onde vai o dinheiro. Não confie só na memória, guarde notas fiscais, recibos ou faça anotações, assim, na hora de organizar as despesas, você não vai deixar nenhum gasto de fora. Procure organizar os gastos em despesas fixas, despesas variáveis e eventuais, conforme a frequência em que ocorrem e a variação, significativa ou não, de seus valores.Despesas fixas – são aquelas que se repetem periodicamente e possuem valor fixo (despesas com aluguel, condomínio, mensalidade escolar, plano de saúde etc.) ou que sofrem pequenas variações de valor em períodos já esperados (contas de gás, luz e água, por exemplo).Despesas variáveis – são aquelas que, embora se repitam periodicamente, apresentam variações significativas de valor, de acordo com o consumo. Por exemplo: contas de telefone, despesas alimentação (mercado, padaria, feira), lazer (cinema, lanchonetes, etc.), combustível.Despesas eventuais ou extraordinárias – são despesas que somente ocorrem por necessidades específicas, que não se repetem sempre. São as despesas com farmácia, material escolar, presentes, exames, viagens, emergências etc.
  4. Faça o cálculo da diferença entre o total das receitas e o total das despesas e descubra o resultado do seu orçamento (Receitas – Despesas = Resultado). Compare tudo o que recebem com o que vocês gastam. Como está sua situação financeira da família?
  5. Avalie a situação financeira.

semaforo-verde-25553.jpgSe o resultado do orçamento for positivo: parabéns!

O ideal é que vocês consigam poupar mensalmente entre 10% a 20% do total das receitas da família. Por exemplo, se a receita familiar for de R$2.000,00, o ideal é que procurem poupar R$200,00, no mínimo.

Nesse caso, vocês já conseguiram equilibrar o orçamento o suficiente para iniciar o planejamento para conquistar seus sonhos. Em geral os planos da família costumam ser classificados como de curto (de 1 a 2 anos), médio (de 3 a 9 anos) e longo (a partir de 10 anos) prazos. Eles podem envolver a compra do celular, do carro, da casa própria; o pagamento da pós-graduação ou, até mesmo, da viagem dos sonhos.

Definam os seus principais sonhos, e verifiquem quanto tempo e dinheiro precisam para conquistá-los. Pesquise os tipos de investimento mais adequados para você e sua família, e mãos à obra!

semaforo-amarelo.jpgSe o resultado for nulo ou quase nulo: vamos lá, coragem, vocês já estão muito próximos do objetivo!

Envolva todos os membros da família, pois é muito importante saber claramente os seus planos, com valores e prazos muito bem definidos, antes de decidir o que será necessário fazer para conquistar seus sonhos.

Examinem todas as despesas da família para descobrir onde vocês conseguem reduzir e cortar de gastos.

Além de reduzir as despesas, também é possível conquistar uma receita extra, pode ser com a venda de produtos caseiros (bolos, salgados, artesanato etc.), revenda de mercadorias (maquiagem, bijuterias, roupas, etc.) ou prestação de serviços (manicure, babá, costureira, jardineiro, dentre outros).

Feito isso, siga adiante, sinal verde para vocês!

semaforo-vermelho.jpgSe o resultado for negativo, não desanime, vocês também podem conquistar os seus sonhos!

Para isso, o primeiro objetivo deve ser sair do vermelho.

Reconheça sua situação financeira, não tenha vergonha, converse com a família. Quando todos os familiares são envolvidos na organização e no planejamento das finanças, tudo fica mais fácil.

Atenção, revejam todas as suas despesas, façam cortes e reduzam todos os gastos possíveis.

Faça as contas e veja o quanto podem pagar para quitar suas dívidas. Procure os credores e exponha sua situação. Tente negociar taxas de juros menores ou prazos de pagamento maiores, mas seja sincero, só assuma compromissos que vocês realmente possam cumprir.

Além de reduzir as despesas, que tal também aumentar as receitas? A família pode buscar formas alternativas para conseguir uma renda extra, pode ser com a venda de produtos caseiros (bolos, salgados, artesanato etc.), revenda de mercadorias (maquiagem, bijuterias, roupas, etc.) ou prestação de serviços (manicure, babá, costureira, jardineiro, dentre outros).

Quando o objetivo for alcançado, e o seu orçamento tiver sinal verde, está na hora de seguir em frente!

Por: Meu Futuro Seguro 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *